Grupo Itararé na região de Itu, estado de São Paulo: intensos processos glaciais erosivos e deposicionais

  • Setembrino Petri
  • Annabel Perez-Aguilar
  • Artur Chahud
  • Sibele Ezaki
  • Ana Maria Góes
  • Silvio Takashi Hiruma
  • Paulo Alves de Souza
Palavras-chave: Grupo Itararé; Glacial; Tilitos; Diamictitos; Pedreira Colonial; Rocha moutonnée; Pavimento estriado

Resumo

O Grupo Itararé, Neopaleozoico (Mississippiano-Pennsylvaniano) da Bacia do Paraná, está exposto em grande parte da faixa leste do Estado de São Paulo, predominantemente sobre rochas pré-cambrianas. As áreas aqui designadas Itu e Salto são notáveis pela abundância de registros glaciais, embora de natureza distinta. Este trabalho discute as feições glaciais presentes nessas áreas como subsídio para reconstruções paleoambientais, partindo-se de estudos prévios, e traz observações inéditas de uma frente sedimentar exposta por escavação na Pedreira Colonial. Na área-Salto, o destaque são as evidências de forte ação erosiva glacial, tais como, rochas moutonnées, só encontradas no Brasil nessa região, e pavimentos estriados, associados a tilitos, diamictitos e depósitos aquoso-glaciais que atingem até 8 m de espessura. Na área-Itu, destacam-se os espessos depósitos aquoso-glaciais e, subordinadamente, diamictitos e tilitos que podem alcançar até 300 m de espessura.

Publicado
31-12-2019
Seção
Artigos