Tecnossolos Úrbicos do Parque Linear Ribeirão das Pedras, Campinas/SP

  • Sara Marques Putrino
  • Francisco Sergio Bernardes Ladeira
Palavras-chave: Tecnossolos Úrbicos, Depósitos tecnogênicos, Solos urbanos, Artefatos antrópicos

Resumo

O ponto fundamental que permite reconhecer os humanos como agentes geológicos é a possibilidade de comparação dos efeitos de suas ações aos efeitos resultantes de causas naturais, como a tectônica, mudanças climáticas, terremotos, tsunamis, etc. As profundas e, muitas vezes, abruptas intervenções humanas no meio ambiente, têm gerado, em escala crescente ao longo dos anos, sedimentos e volumes pedológicos com características muito diferentes dos naturais. Especificamente, os Tecnossolos Úrbicos (IUSS 2014) são solos profundamente modificados pela ação humana, que apresentam grande variabilidade vertical e horizontal e muitos artefatos manufaturados ao longo do perfil. A área em estudo localiza-se na região noroeste do município de Campinas/SP, abrangendo parte da planície aluvial do ribeirão das Pedras, mais especificamente o trecho entre sua nascente e a Rodovia Dom Pedro I (SP-65). O objetivo deste trabalho foi caracterizar os Tecnossolos dessa área e compreender a história de sua formação. A metodologia adotada compreendeu a: investigação do histórico de uso e ocupação local, observação da paisagem (vegetação, ocupação), coleta de amostras de solo para a realização de análises físicas e químicas e interpretação dos resultados buscando relações entre os níveis de fertilidade, elementos contaminantes e os artefatos encontrados nos perfis. Os resultados mostraram que de maneira geral, os solos da área de estudo são arenosos, apresentam altos níveis de fertilidade e concentrações de elementos como Bário (Ba), Cromo (Cr), Cobre (Cu), Chumbo (Pb), Níquel (Ni), Vanádio (V) e Zinco (Zn) acima dos limites de prevenção estabelecidos pela CETESB. 

Publicado
26-06-2019
Seção
Artigos