Análise comparativa da extração automatizada de dolinas a partir de modelos digitais de terreno

  • Silvio Takashi Hiruma Secretaria de Estado de Meio Ambiente; Instituto Geológico
  • José Antonio Ferrari Secretaria de Estado de Meio Ambiente; Instituto Geológico
Palavras-chave: Modelo digital de terreno, Carste, Dolinas, Rio Betari, Vale do Rio Ribeira de Iguape.

Resumo

As cartas topográficas de semidetalhe e detalhe (escalas 1:50.000 e 1:10.000) não representam adequadamente a complexidade da rede de drenagem e das feições morfológicas de áreas cársticas. O presente trabalho avalia a extração automatizada de dolinas, feições morfológicas típicas do carste poligonal, a partir de modelos digitais de terreno gerados de pares estereoscópicos de fotografias aéreas na escala 1:25.000 e de dados do sensor SRTM (Shuttle Radar Topography Mission/NASA) com resolução de 30 e 90 m. A área de estudo corresponde aos planaltos cársticos do Vale do Rio Ribeira de Iguape, sul do Estado de São Paulo, que compreende remanescentes importantes da Mata Atlântica e rico patrimônio espeleológico. O modelo digital de terreno obtido a partir de fotografias aéreas foi gerado pelo programa Geomatica (Módulo Ortho-Engine), utilizando parâmetros de calibração interna de câmera e pontos de controle extraídos de cartas topográficas nas escalas 1:50.000 e 1:10.000 e de GPS (Sistema de Posicionamento Global). A extração automatizada das dolinas dos modelos derivados de fotografias aéreas e dos dados SRTM foi feita em ambiente SIG (Sistema de Informação Geográfica). Baseado na análise morfométrica das dolinas, os resultados foram comparados com cartas topográficos nas escalas 1:10.000 e 1:50.000 e fotointerpretação convencional. Os modelos gerados com o programa Geomatica e SRTM de 30 m de resolução detectaram várias dolinas não representadas nas cartas topográficas e no modelo SRTM de 90 m de resolução. Desse modo, quanto maior a resolução do modelo, maior a sensibilidade do método para a extração de dolinas. Comparando-se os parâmetros de área e perímetro das dolinas, os valores obtidos pelo Geomatica ficaram muito próximos aos do fotointerpretado. A utilização dos diferentes modelos mostrou-se uma importante ferramenta, que pode auxiliar nos trabalhos de fotointerpretação convencional, principalmente em regiões onde inexistem informações cartográficas de detalhe.
Publicado
01-12-2014
Seção
não definida