Avaliação de cimento portland a partir da difração de raios x associada à análise por agrupamento

  • Luciano de Andrade Gobbo Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Departamento de Geologia Sedimentar e Ambiental
  • Tarcisio José Montanheiro Instituto Geológico; Secretaria de Estado do Meio Ambiente/SP
  • Filipe Montanheiro Universidade Estadual Paulista; Instituto de Geociências e Ciências Exatas; Departamento de Geologia Aplicada; Laboratório de Estudos de Bacias
  • Lília Mascarenhas Sant'agostino Universidade de São Paulo; Instituto de Geociências; Departamento de Geologia Sedimentar e Ambiental
Palavras-chave: Análise por agrupamento, Difração de raios X, Método de Rietveld, Indústria cimenteira, Cimento com adições, Pozolana.

Resumo

A indústria cimenteira do Brasil produziu 64 milhões de toneladas de cimento no ano de 2012, com destaque para os tipos CP-II (escória), CP-III (alto-forno) e CP-IV (pozolânico). O polo industrial é composto por cerca de 80 fábricas abastecidas por matérias primas de origem e composição química diferentes, que exigem tecnologias de análise aprimoradas para otimizar seu processo produtivo na conquista do crescente mercado consumidor brasileiro. O presente trabalho avalia a sensibilidade do método de análise mineralógica por difração de raios X, associado à análise por agrupamento, na distinção dos diversos tipos de cimentos com diferentes adições. Essa técnica pode ser aplicada, por exemplo, para a prospecção de tipos de calcários (calcíticos, dolomíticos e silicosos), bem como para qualificar diferentes tipos de clínqueres. A análise por agrupamento não exige interpretação mineralógica prévia dos difratogramas, uma vez que ela se baseia na similaridade numérica dos mesmos. Os materiais testados como adições possuem origens distintas: as cinzas volantes são provenientes de diferentes termelétricas do sul do Brasil, enquanto as escórias são de algumas indústrias siderúrgicas da região sudeste. Também utilizou-se cimentos com variação nas proporções de calcário e amostras de cimento branco. Para aferição dos resultados foram realizadas análises qualitativas e quantitativas pelo método de Rietveld.
Publicado
01-12-2013
Seção
não definida