Depósitos de vertente e evolução quaternária do planalto do Itatiaia

  • May Christine Modenesi SMA; Instituto Geológico

Resumo

Nas médias e baixas encostas do vale dos Lírios e em alvéolos menores da bacia do ribeirão das Flores, encontram-se depósitos correlativos da evolução quaternária do planalto do Itatiaia. Os processos responsáveis pela deposição dos tálus suspensos, concentrações lineares de matacões, depósitos de seixos angulosos e duas gerações de colúvios refletem influências de reativação tectônica e de variações climáticas pleistoceno-holocênicas. Eventos mais antigos e eficientes na liberação de blocos e matacões das vertentes rochosas íngremes - explicados por um conjunto de ações de amplo espectro, que incluiria processos de gelivação - teriam dado lugar a episódios de coluvionamento. Colúvios C I heterométricos, com blocos do regolito, e colúvios C II mais homogêneos e finos, com pequenos seixos e grânulos, resultariam da ação de processos cada vez menos agressivos, capazes de retrabalhar apenas os produtos de fases erosivas anteriores. A diminuição da atividade denudacional nas encostas do planalto favoreceu o preenchimento das várzeas e depressões hidromórficas, com sedimentos holocênicos relativamente finos, e a formação de turfeiras.
Publicado
01-06-1992
Seção
não definida